Obras de preservação?

As fotografias abaixo foram tiradas na data de ontem (24/01/2012). Como as imagens dizem que mais que mil palavras, acredito que não seja necessário tecer maiores comentários.

Contudo, uma reflexão merece ser compartilhada: se as obras emergenciais foram realizadas para proteger a Fazenda do Registro Velho das intempéries do tempo; se as chuvas torrenciais são esperadas nesta éoca época; seria um argumento válido dizer que a estrutura não resisitiu por conta das chuvas?

IMG_7356Pela falta de proteção (…) IMG_7358chuvas castigaram a fachada do imóvel.
IMG_7359
(lateral esquerda)
IMG_7365

IMG_7357
Local onde os cabos estavam presos estão se soltando.

IMG_7367
Gambiarras para manter esticado o cabo de aço
IMG_7360 IMG_7363
IMG_7361 IMG_7368
(Fundos da casa)

Diante da precária situação que se encontra o imóvel e da sua falta de proteção, não há muito o que se esperar. A mais antiga casa de Minas Gerais caminha à ruína e parece-me que agora a situação é irreversível.

Como prêmio de consolação por esta luta, o proprietário da Fazenda doou-me o Oratório que existe em seu interior (veja aqui). Minha ideia será montá-lo num outro local que seja acessível ao público, transtormando-o num memorial do descaso com o nosso patrimônio histórico. Espero apenas que o IPHAN não leve muito tempo para autorizar formalmente sua retirada, pois do contrário ele acabará apodrecendo. Ontem fizemos uma limpeza e removemos partes do reboco e da parede que estavam caídas em cima do Oratório, aumentando a umidade.

IMG_7364

Quanto às verbas públicas que foram gastas nesta obra que se revelaram inúteis e serviram apenas para aprofundar os danos existentes na Fazenda ao invés de protegê-la, espero que o Ministério Público exija que pelo menos o dinheiro seja devolvido aos cofres públicos. As obras custaram R$ 45.960,00 para os cofres públicos, dos quais R$ 30.000,00 já foram pagos e o restante encontra-se suspenso até o IPHAN aprovar as obras. Além da devolução dos valores recebidos, entendo que ainda seja cabível um pedido de cunho indenizatório por dano moral coletivo. Afinal, o prejudicado não foi o proprietário, mas toda a sociedade que testemunhou a perda deste relevante patrimônio histórico.

Anúncios
Published in: on 25 de janeiro de 2012 at 9:43 am  Comments (4)  

The URI to TrackBack this entry is: https://fazendadoregistrovelho.wordpress.com/2012/01/25/obras-de-preservao/trackback/

RSS feed for comments on this post.

4 ComentáriosDeixe um comentário

  1. Obras de preservação? Nossa! Essas “gambiarras” só podem ser trabalho de amadores.
    Não resta quase nada da casa, infelizmente.
    Deplorável a ação do poder público, não só de Barbacena, mas do estado de Minas. Uma vergonha para Minas Gerais deixar um bem tão precioso chegar a esse ponto.

  2. […] Obras de preservação? « Fazenda do Registro Velho. This entry was posted in Minas Gerais, Patrimônio Histórico and tagged Barbacena, Preservação. Bookmark the permalink. ← Cultura Popular: revisitando um conceito historiográfico […]

  3. É triste ver nossos atuais governantes… não se esforçam PARA NADA!! Se ao menos se esforçassem poderíamos sentir menos raiva.. Mas não!!! Eles não querem NADA sério com a cidade. BARBACENA ACORDA!!!

  4. Eu estava pesquisando a região de Barbacena para descansar no carnaval e “descobri”, como atração, a Fazenda do Registro Velho. Mas é muito triste ver estas fotos e constatar o total descaso com a nossa História. Será que o nosso governador já ouviu falar deste lugar? Parece que não.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: